A ESPECIFICIDADE DE KABINDA É NÃO FAZER PARTE DE ANGOLA FÍSICA QUAL O ALCANCE, PROFUNDIDADE E A DIGNIDADE POLÍTICO -  JURÍDICO – CONSTITUCIONAL DE UM PROJETO CREDÍVEL E COM SUBSTANCIA E VIDA POR OPOSIÇÃO AO MEMORANDO DE ENTENDIMENTO

1.Ter o Tratado de Simulambuco como exclusivo laço colonial com Portugal

2.Ter a Frente de libertação do estado/enclave de Cabinda (Flec) como principal representante político legítimo, que foi excluído dos A cordos de Alvor por não ser um movimento Angolano mas, de Cabinda, e que Angola pretende, abusivamente, degradar, dissolver e excluir do seu processo de paz. Ser independêndista.

3.Pertencer ao espaço da Africa Central e ser a potência petrolífera da região que faz de Angola ( seu desenvolvimento, e  fundo soberano…) o que é . Kabinda é o Congo Português.

4. Não haver contiguidade territorial com Angola.

5. Ser a região onde ainda persiste o Conflito armado e uma excessiva insegurança, militarização Angolana no território, bem como uma permanente e agravada violação dos direitos humanos e dos povos. Kabinda paga a fatura da descolonização, do desenvolvimento e do seu próprio empobrecimento.

6. Ser  a única região onde não existe, por razões especiais, liberdade de expressão nem desenvolvimento e progresso económico - social. Não ser um espaço livre e democrático.

7.Ser o único espaço onde o processo político de paz sustentável ainda não viu à luz do dia.

FLEC /CONSELHO NACIONAL DO POVO DE CABINDA / MOVIMENTO NACIONAL DE KABINDA

O MOVIMENTO INDEPENDENTISTA DE CABINDA

A direcção