O mpla e Angola sem democracia para Cabinda O mpla e a sua angola corrupta
, terrorista e colonialista não tendo um projecto nem um processo político credível para Cabinda, esmagam, nas barbas da comunidade internacional, este território (ex – protectorado de Portugal, anexado e ocupado ilegal, ilegítima e militarmente em 1975.

O mpla e Angola repartem o fruto do saque organizado em Cabinda, com os lóbis estrangeiros da ocupação de Cabinda e as multinacionais do sector do petróleo com os quais angola desenha estratégias destrutivas e desumanas contra o povo de kabinda. Perante esta situação que denota uma injustiça política de todo o tamanho, vale a pena enfatizar e afirmar a centralidade da resistência e do diálogo construtivo e independentista para afirmar a força da razão e da verdade da legítima luta que a Flec protagoniza, bem e determinação e firmeza patriótica e com absoluta convicção de ter superioridade moral neste combate de civilização.

Nós os Cabindas, não podemos deixar de falar e de construir a verdadeira esperança, a prosperidade, a liberdade, para

kabinda, o nosso país que angola coloca deliberada, cínica e criminosamente na sargeta, e na indigência política e social.

A Flec e o conselho nacional do povo de Cabinda  defendem o Tratado de Simulambuco e a independência de kabinda recusam categoricamente  os acordos de alvor no seu artigo 3º :  …e neste contexto Cabinda faz parte integrante de angola, recusámos o Memorando da entendimento e para a paz e a reconciliação de Bento Bembe, as eleições ditas livres e justas em território ocupado, o estado  de sítio não declarado, a lei marcial,  a lei da “rolha democrática” em Cabinda, o tabu de Kabinda, o embargo informativo, o isolamento internacional injusto,  o empobrecimento estrutural programado e a alienação e a soberania política  de Angola imposta pela via da repressão e da opressão colonial angolana.

Reafirmamos sem hesitação que só a independência garantirá a plena, liberdade e a prosperidade em cabinda daí a o imperativo para o povo de Cabinda e a Flec de renovar o compromisso e a fé e a confiança absolutas na dinâmica de mudança e de esperança na nova visão e acção da alternativa patriótica encarnada no acordo de união e de unidade nacional de Kabinda da Flec  / Conselho nacional do povo de cabinda no âmbito do novo projecto para Cabinda NPC e da nova liderança e estratégia movimento independentista de Cabinda.

FLEC

CONSELHO NACIONAL DO POVO DE CABINDA

GOVERNO REVOLUCINÁRIO DE KABINDA NO EXÍLIO

 

O presidente executivo

Stephane Barros