HOJE DIA 1º DE DEZEMBRO, PORTUGAL CELEBRA EFUSIVAMENTE O FIM DO DOMÍNIO DE 60 ANOS  DE ESPANHA EM PORTUGAL . EM 1640 PORTUGAL RECUPEROU A SUA INDEPENDÊNCIA ( PORTUGUESES CELEBREMOS O DIA DA RENÇÃO EM QUE VALENTES GUERREIROS NOS DERAM LIVRE A NAÇÃO........
 
REFLECTIR CABINDA ONTEM , HOJE E AMANHÃ, NÃO EXIGE MUITA CIENCIA E SABEDORIA . IMPORTA INSITIR NO ESSENCIAL OU SEJA NA TECLA DO INCONFORMISMO POLÍTICO E DEMOCRÁTICO  DO POVO DE CABINDA  E DA FLEC EM RELAÇÃO A TODAS AS FIGURAS E TENDENCIAS ANGOLANIZADORAS E CONGOLIZADORAS DE CABINDA ( NZITA TIAGO SUBSCREVERA A CARTA QUE MOBUTO ENTREGARA AOO GENERAL ANTÓNIO DE SPÍNOLA, NA ILHA DO SAL (CABO VERDE) EM 1975, NA ÚLTIMA TENTATIVA DE PORTUGAL DE HOMENS HONRADOS E SÉRIOS  DE CORRIGIR O ERRO DRAMÁTICO DOS ACORDOS DE ALVOR) VENHAM ELAS DONDE VIEREM. AS CONSEQUÊNCIAS ESTÃO À VISTA : NA  ALTURA A AUTONOMIA DE CABINDA PODERIA TER TIDO INÍCIO.
HOJE QUE O PROBLEMA VOLTA NA AGENDA DO DEBATE INTERNO E QUIÇA POLÍTICO NO QUADRO DO MUTISMO INSTITUCIONAL SOBRE A MATÉRIA DE CABINDA, VALE A PENA LEMBRAR QUE O QUE A FLEC CONSELHO NACIONAL DO POVO DE CABINDA, AFIRMARA RECENTEMENTE QUE O POVO DE CABINDA E A FLEC NÃO ENCONTRAM INTERLOCUTOR SÉRIO E VÁLIDO EM ANGOLA. DISSE.
CONTUDO QUALQUER ESPAÇO HOJE ABERTO EM VIRTUDE DA PRESSÃO EXTERNA DA FLEC (CONSELHO NACIONAL DO POVO DE CABINDA (NKOTO -LIKANDA) COMO EJA A LDECLARAÇÃO UNILATERAL DA INDEPENDENCIA DE CABINDA A  O4 DE FEV DE 2011  NO PARLAMENTO EUROPEU  E INTERNA DA SOCIEDADE CIVIL DE CABINDA  DEVE SER PREENCHIDO COM INICIATIVAS POLÍTICAS FRACIONADAS OU DE FACÇÃO, MAS QUE REFLITAM VERDADEIRA INCLUSÃO DE TODAS AS TENDÊNCIAS E PARTES DO CONFLITO DE CABINDA, CONTRARIANDO A LÓGICA SEGREGADORA DE QUE UNS SÃO ESPECIAIS FRANCO ATIURADORES CONTRA ALVOS DEFINIDOS ARBITRÁRIAMENTE SEGUNDO ESQUEMÁS  ANTÍ -DEMOCRÁTICAS POR FORÇAS OCULTAS / INVISÍVEIS QUE TRABALHAM AFINCADAMENTE CONTRA A FLEC CNPC E EM ÚLTIMA ANÁLISE CONTRA A LIBERDADE E A INDEPENDENCIA, A VERDADEIRA AUTONOMIA POLÍTICA DO POVO DE CABINDA ( MACONGO, MANGÓIO E MALUANGO)
 AQUELA QUE NO MÍNIMO DEVERIA TER OCORRIDO EM 1975,DANDO CUMPRIMENTO INTEGRAL E OBJECTIVO DO TRATADO DE SIMULAMBUCO.
 PERANTE O TRIBUNAL DIVINO, DOS HOMENS DE PAZ E DE BOA VONTADE E DA HISTÓRIA TODA A VERDADE. ANGOLA DEVE RESPEITAR A IDENTIDADE POLÍTICA DO POVO DE CABINDA PARA SE AJUDAR A SÍ PRÓPRIA TAMBÉM PORQUE A SITUAÇÃO POLÍTICA DE CABINDA  É SIMPLESMENTE INSUPORTÁVEL E DESUMANO .
PELO FIM DO DOMÍNIO  COLONIAL ANGOLANO NO TERRITÓRIO DE CABINDA E PELO ADVENTO DE UMA SOCIEDADE VERDADEIRAMENTE E DEMOCRÁTICA E JUSTA EM CABINDA E ANGOLA-.
 
FLEC CNPC (NKOTO -LIKANDA) PELA UNIÃO COM UNIDADE ESTRATÉGICA
 
 
COMISSÃO EXECUTIVA FLEC / GRCE
 
E. NGUIMBI