E CELEBRAR A INDEPENDENCIA DO TERRITÓRIO

UMA TRANSIÇÃO POLÍTICA  PARA UMA NOVA ORDEM LOCAL SE IMPÕE EM CABINDA VIOLANDO O TRATADO DE SIMULAMBUCO E A DEMOCRACIA DIRECTA, O CONSÓRCIO PETROLÍFERO QUE OPERA EM CABINDA  DESDE 1968 E O MPLA (ANGOLA) APOSTAM NOS EQUÍVOCOS E CRIMES DE OCUPAÇÃO , MILITARIZAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE KABINDA POR ANGOLA.

SENÃO VEJAMOS, ENQUANTO A CHEVRON E A  FALIDA SONANGOL AUMENTAM OS LUCROS E PROVEITOS COM A PRODUÇÃO DE CRUDE NO TERRITÓRIO OCUPADO, ANEXADO E COLONIZADO E SOB UMA BRUTAL OPRESSÃO POLÍTICA E UMA REPRESSÃO  MILITAR E POLICIAL DE CABINDA, ESTE TERRITORIO RECEBE EM TROCA MAIS TROPAS, MAIS ARMAS, MAIS DESEMPREGO, MAIS PRECARIEDADE,  MAIS DESTRUIÇÃO E MENOS LIBERDADES CIVIS E POLITICAS.

ESTA SITUAÇÃO VEM SENDO DENUNCIADA E COMBATIDA COM CLAREZA E  PELA FLEC  APOIADA PELO CONSELHO NACIONAL DO POVO DE KABINDA ( NKOTO -LIKANDA) NO ÂMBITO DO MOVIMENTO INDEPENDENTISTA DE CABINDA CUJO ÚNICO COMPROMISSO É LIBERTAR E DESENVOLVER O TERRITÓRIO DE KABINDA DANDO CUMPRIMENTO INTEGRAL DO TRATADO DE SIMULAMBUCO.

É EM NOME DA VERDADEIRA UNIÃO E DA INDEPENDENCIA NACIONAL DE  CABINDA QUE A FLEC CONSELHO NACIONAL DO POVO DE CABINDA (NKOTO- LIKANDA) ASSU,ME FRONTALMENTE A EXIGÊNCIA DE UMA TRANSIÇÃO POLÍTICA PACÍFICA, DEMOCRATICA E INTERNACIONAL PARA CABINDA QUE NÃO INVALIDA O DIREITO Á RESI ETÊNCIA SOB TODAS AS FORMAS E EM TODAS FRENTES CONTRA UMA OCUPAÇÃO MILITAR DE ANGOLA CUJOS PROCESSOS DITOS DE DIÁLOGO PARA CABINDA NÃO ´SO DEIXAM À DESEJAR MAS SOBRETUDO INSISTEM NA IDEOLOGIA DA OCUPAÇÃO, DA COLONIZAÇÃO , DA EXPLORAÇÃO SELVÁTICA DO PETR´LEO DE CABINDA ( 500 MIL BARRIS PER DAY) E DO EMPOBRECIMENTO PROGRAMADO DE KABINDA.

ANGOLA PRATICA A LINHA DURA EM CABINDA, POR MAIORIA DE RAZÃO, O POVO DE CABINDA , PELA FLEC, NÃO ENJEITANDO A LINHA DE COMPROMISSO, TEM O DIREITO DE, EM LEGÍTIMA DEFESA DE ADOPTAR, CASO SEJA POSSÍL A LINHA DURA. NÃO SE DEVE LIDAR COM  O CONFLITO DE CABINDA, COMO FAZENDO ABSTRAÇÃO DO FACTO RELEVANTE DE SE TRATAR DEUMA OCUPAÇÃO ARMADA E DE UMA COLONIZAÇÃO PURA E DURA.  O RADICALISMO DO MPLA E DO GOVERNO DE ANGOLA  É UMA REALIDADE OBJECTIVA.

MAIS DO QUE O RADICALISMO  E O EXTREMISMO IDEOLÓGICO E EXTRATÉGICO DE ANGOLA  EM CABINDA, IMPORTA ASSINALAR O CINISMO POLÍTICO DE ANGOLA  NA MATÉRIA DE KABINDA ONDE NÃO INVESTE NADA NEM PARTILHA OS PROVEITOS COM O POVO DE CABINDA QUE MANTÉM NA MÍNGUA TOTAL ( SEM RENDIMENTOS, SEM ENERGIA, SEM DIREITOS E LIBERDADES DEMOCRÁTICAS, SEM PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO ESTRUTURAL, SEM REFINARIA, SEM CENTRAIS TÉRMICAS OU OUTRAS, SEM PORTOS, SEM AEROPORTOS INTERNACIONAL, SEM, CRÉDITOS, SEM ENSINO COMPETITIVO, SEM PAZ NEM SEGURANÇAS COLETIVAS, SEM ESPERANÇA, SEM FUTURO

 SOMOS PELO FIM DA COMÉDIA E DA PARÓDIA DE CABINDA NO QUE TOCA Á  SOBERANIA DE ANGOLA SOBRE CABINDA E PELO FIM DE PROCESSOS FANTOCHES E SEM CREDIBILIDADE NEM SUBSTANCIA POLÍTICA, E Á BRAÇOS COM UMA EXCESSIVA PRESENÇA DE TROPAS E POLÍCIA E AGENTES ANGOLANOS.

 

CABINDA, 17 DE AGOSTO 2015

A DIRECÇÃO POLÍTICA

FLEC

CONSELHO NACIONAL DO POVO DE CABINDA 

 

GOVERNO REVOLUCIONÁRIO DE CABINDA NO EXÍLIO/ DE UNIDADE PATRIÓTICA ((GRCE/UP)