Cabinda - Uma emboscada da Frente de Libertação do Estado de Cabinda
(FLEC) contra uma patrulha das Forças Armadas de Angola (FAA) no
Territorio de Cabinda resultou na morte de três soldados angolanos e feriu
quatro.

Um responsável da FLEC confirmou à e-GLOBAL que a guerrilha cabindesa
atacou ao início da tarde de 7 de fevereiro uma patrulha das FAA, baseada
no aquartelamento de Cito, quando circulava na área de Chivoco na região
de Massabi. Durante a embosca três militares angolanos foram mortos e
quatro terão sido feridos, confirmou o mesmo responsável.

A ação da FLEC aconteceu poucos dias depois de um célula da guerrilha ter
sido desmantelada na cidade de Cabinda.

A 2 de fevereiro, a detenção de um guerrilheiro da FLEC no posto
fronteiriço de Massabi, terá levado ao desmantelamento de uma célula da
guerrilha composta por cinco elementos, entre os quais o líder do grupo
conhecido como “Choro”.

Um sexto elemento da FLEC, funcionário de uma empresa de segurança
privada, foi também identificado como membro da célula. Durante a
tentativa para a sua captura terá abatido três elementos das forças de
segurança angolanas e suicidou-se.

No decorrer das buscas efetuadas pelos serviços de segurança angolanos e a
polícia local foram encontradas no domicílio de “Choro” várias granadas,
armas semiautomáticas AK47, munições e folhetos de propaganda da FLEC.

Depois de um longo período de cessar-fogo unilateral a FLEC anunciou a
retoma das ações militares no territorio como “único meio de forçar Angola
a negociar” com a guerrilha, afirmou o mesmo responsável da FLEC.