O conhecido Padre Congo acusa a Igreja Católica de estar por detrás das prisões

CABINDA. Em Cabinda, o conhecido padre Jorge Casimiro Congo denunciou a detenção pelas autoridades angolanas de dois catequistas afectos à Igreja Católica das Américas, por ele dirigida, na sequência de um mandado das autoridades locais. De acordo com o sacerdote, os dois catequistas correm o risco de serem julgados pelo crime de desobediência por suposto desacato as autoridades e questiona sobre a razão das prisões uma vez que se encontravam a rezar nas suas casas. Jorge Congo acusa a Igreja Católica Apostólica Romana de estar por detrás desta onda de detenções e denuncia a perseguição da sua vida, ele começou por falar sobre as acusações que pesam sobre os detidos.