O general António Bento Bembe nega que tenha renunciado ao cargo de presidente do Fórum Cabindês para o Diálogo conforme declarações do dirigente daquela plataforma, general Zenga Mambo feitas à VOA a partir de Cabinda. Depois de há uma semana ter anunciado um processo de reaproximação com Bente Bembe, Zenga  Mambo  declarou que o também secretário de Estado dos Direitos Humanos tinha abandonado o  cargo  e anunciado a sua aliança ao MPLA, partido  que o indicou para a função  secretário de Estado para os Direitos Humanos.

Mambo considerou tal atitude como sendo pessoal,  sem qualquer vínculo com a   plataforma política ou com  os Acordos de Paz para Cabinda, assinados entre o Governo e o Fórum Cabindês para o Diálogo  em  2006. A mesma fonte anunciou que iria ser constituída uma comissão de crise para gerir os assunto do grupo até a indicação de uma nova liderança.

Entretanto, em declarações à VOA Bento Bembe reagiu dizendo não ter tempo para ouvir mais “criancices” e garantiu que o acordo assinado com o Governo tem  estado a ser cumprido integralmente O dirigente do FCD negou que tivesse encetado quaisquer contactos com os membros do grupo que têm vindo a  contestar  a sua liderança e defendeu o Presidente da República que não é um “aventureiro” para aceitar assinar outro acordo. António Bembe foi o principal negociador dos Acordos de Paz para o enclave em representação dos  restantes movimentos independentistas,  entre os quais a Flec Renovada e o Movimento para o Diálogo em Cabinda (MDC). Entretanto, informações não oficialmente confirmadas deram conta, nos últimos dias,  que o general Bento Bembe estaria a ser paulatinamente afastado dos assuntos da Cabinda a favor de  um antigo quadro da Presidência da República, que teria a missão encetar encontros exploratórios directos com a liderança da FLEC de Nzita Tiago.