POVO DE KABINDA

NOBRE E ILUSTRE

PATRIOTAS E RESISTENTES

A VERDADE DE KABINDA E DA SUA LUTA NÃO PRESCREVE.

DSCF1222

Senadores da Republica de Kabinda no Parlamento Europeu Brussels.


Nesta quadra festiva de Natal, final do ano 2011 e no limiar do ano novo de 2012 a direcção política da frente de Libertação do estado de kabinda, cumpre com esta comunicação, saudar os filhos, filhas, quadros e dirigentes políticos, eclesiásticos, e cívicos de Kabinda e apresentar o balanço e as perspectivas da nossa acção cívica, patriótica e resistente colectiva para libertar o nosso território da cruel ocupação angolana.

A acção de resistência em legítima defesa que levamos a cabo e da qual podemos e devemos nos orgulhar, não obstante as dificuldades, as desilusões, os obstáculos com que nos deparamos e que não foram poucos, permite de um lado fundar novas esperanças e altas espectativas e por outro acreditar na força da fé, no mérito do trabalho em equipa e na capacidade da coesão organizativa.

No ano transacto, todos juntos, lançamos muitas novas sementes da liberdade e da esperança que já começaram a dar bons frutos. “Baka mwali tuba limweka”. Congratulamo-nos com os ganhos diplomáticos e os benefícios políticos alcançados no silêncio e com humildade.

Estamos conscientes de que o processo de libertação de Kabinda é complexo e longo. É a razão porque não podemos baixar a guarda e as defesas. A atitude de cada um deve ser honesta, patriótica, construtiva, positiva, ordeira e sempre responsável para que a performance da resistência consolide a dinâmica de vitória pretendida. 

Precisamos imperativamente manter o rumo e vencer as resistências e práticas negativas e conservadoras enraizadas, revolucionar a revolução fazer reformas e mudanças institucionais e escolhas políticas difíceis de aceitar á primeira vista, mas necessárias, urgentes e indispensáveis por forma a capacitar a nossa lendária e histórica organização para vencer os desafios que se prendem com a credibilização e a consolidação da Frente de libertação do estado de Kabinda, da resistência para cumprir o desígnio nacional de liberdade e independência.

Quero dizer que acabou a era da demagogia, da ineficiência, das dúvidas, da manipulação e da incerteza da amálgama. A nova liderança liderança política da Flec e da luta pela libertação nacional deve, além de provar consistência, ser capaz de dar escala às ideias que comungamos, ás iniciativas e diligencias políticas e diplomáticas

que encetamos, conferir dimensão internacional ao projecto nacional de emancipação política de Kabinda, abrir novos horizontes e novas fronteiras para a nossa resistência invicta.

Kabindas,

Segundo os lemas a união faz a força e um por todos e todos por um, na hora da verdade, a luta exige de cada um e de todos nós grande humildade, bom senso, responsabilidade política e lealdade patriótica. A nova direcção da Flec confia e aposta na Juventude, mulher e nos quadros de Kabinda, para marcarmos esta oportunidade de mudança da nossa história de combates da liberdade de verdadeiros defensores da pátria.

Apelo ao povo de Kabinda para cerrar fileiras e protagonizar uma resistência esclarecida e solidária, confiando no trabaho   do Nkoto - Likanda, o conselho nacional do povo de Kabinda e no Governo da República de Kabinda no Exílio (GRCE) que estão a desbravar caminhos nunca antes palmilhados em busca da nação livre, independente e soberana de Kabinda,

Esta mensagem é também um apelo da história (a nossa memória colectiva) para a mobilização geral rumo á independência, passando pelo boicote geral das eleições angolanas impostas ou seja não livres, em Kabinda.

Compatriotas,

Com a resistência solidária e organizada venceremos. Pelo que não podemos deixar de resistir, para existirmos e sobrevivermos enquanto povo, Nação e Estado. A longa noite da ocupação vai acabar e o sol da liberdade, da paz, da justiça e do progresso vai brilhar para todos.

De Miconge ao Yema e de Massabi até Zenze do Lucula, a resistência, enquanto dever e direito é também a palavra de ordem por excelência cuja actualidade e exigência deve interpelar e preocupar cada um filho da Nação. Que Deus  abençoa e proteja Kabinda (Makongo, Mangoio e Maluango)

Unidos venceremos

VIVA A FLEC

VIVA O POVO DE KABINDA

VIVA A INDEPENDENCIA DE KABINDA

A comissão política perma Nkoto – Likanda

 

STEPHANE BARROS MANGGA

VICE - PRESIDENTE