Três guerrilheiros estão feridos, segundo fontes oficiais

Horas depois de o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos cogitar a possibilidade de participar das negociações de paz com as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), seis soldados e pelo menos três membros da guerrilhas FARC morreram neste sábado (07/04) no Departamento de Choco, noroeste do país. A nformação foi divulgada pelo comandante da VII Divisão do Exército, o general Hernán Giraldo.

O ataque ocorreu na estrada entre Quibdó, capital de Chocó, e Medellín, capital do Departamento de Antióquia, quando os militares surpreenderam rebeldes que tentavam colocar explosivos na estrada.

"Nos confrontos, infelizmente, perdemos seis de nossos soldados atingidos por artefatos explosivos. Temos conhecimento de pelo menos três guerrilheiros mortos em combate e dois feridos", disse Giraldo à rádio "Caracol".

No local, foram enviados tropas de reforço, segundo a fonte que garantiu que a situação na estrada "está totalmente controlada".

Na quarta-feira passada, em outra estrada no estado de Putumayo, vizinho ao Equador, também morreram dois militares pela explosão de uma bomba deixada por rebeldes das Farc. Essa foi a primeira ação da guerrilha após a libertação de dez policiais e militares na última segunda-feira.

O ataque deste sábado em Chocó aconteceu pouco depois da divulgação de um vídeo no qual "Ivan Márquez", um dos principais chefes das Farc, assegurou que a guerrilha não está debilitada como declara o governo do presidente Juan Manuel Santos e comandantes militares.