Fernando Baptista pede intervenção do Presidente da República.

O pai do activista Nito Alves denunciou que o filho pode estar contaminado por “algo estranho, por não falar coisa com coisa”.
Fernando Baptista disse  nesta quarta-feira, 9, que o filho estava numa cela “envenenada” em Calomboloca e que encontra-se muito doente.
“O meu filho foi preso em boas condições, nem malária tinha, mas agora não fala coisa com coisa”, revelou Baptista que diz temer o pior.

Por isso, Fernando Baptista faz um pedido: “Peço que o camarada Presidente solte o meu filho porque ele não fez nada”.
Nito Alves volta a ser ouvido hoje na Procuradoria-Geral da República no âmbito do processo em que ele e mais 14 activistas membros do autodenominado Movimento Revolucionário são acusados de prepararem um golpe de Estado.
O activista Mbanza Hanza, detido juntamente com Alves na cadeia-hospital de São Paulo, em Luanda, também será ouvido hoje na PGR.

Eles foram detidos a 20 de Junho e encontram-se em várias cadeias de Luanda.